terça-feira, 25 de março de 2008

Censura não, nem vem!

É mais ou menos assim que vejo nosso surf, completamente abandonado!


Mês passado ocorreu um fato triste na mídia especializada nacional, quando o Alex Guaraná, editor RJ da Fluir, escreveu uma matéria incrível sobre os Top 45 de 2008 e foi questionado pela ASP, que não viu com bons olhos aquela matéria e se opôs as declarações do jornalista. Sem entender o porquê da entidade se opor ao direito de livre expressão da mídia, fiquei me questionando sem obter resposta alguma. Então resolvi questionar o porquê de muitas coisas no nosso surf, redigindo um e-mail para a redação da revista, em forma de protesto contra a atitude da ASP south america e de apoio ao veículo Fluir. Segue abaixo minha carta:

"Brothers da redação Fluir!!!

Fiquei sabendo da repercussão negativa da matéria Raio X dos Top 45 junto a ASP, por isso, venho por meio desta declarar meu total apoio à vocês, na defesa do direito de informação verdadeira que vocês nos passam como poucos neste país. Na real, acho sinceramente que são os únicos que apontam um milímetro da realidade do surf que nosso país vive. Temos que levantar as mãos aos céus e agradecer por termos um "Sílvio Luis" do surf, que é o Alex Guaraná, um cara que expõe a realidade para nós, meros espectadores. Eu pelo menos acho que os caras tem uma vida perfeita, pois não é qualquer um que pode viajar o mundo todo, surfando as melhores ondas do planeta e ainda receber uma grana para fazer isso, então, qualquer surfista ou profissional do surf que venha a se ofender com alguma crítica da imprensa, com certeza não liga a mínima para o surf nacional ou tem culpa no cartório. A real é que o surf nacional é muito pouco cobrado. O futebol, por exemplo, é cobrado em campo, nas arquibancadas, nas ruas, na imprensa, enfim, neguinho não fez por merecer, tá lá um torcedor com uma nota de 1 pila na mão esfregando na cara do cidadão e gritando o que quiser ao lado do ônibus depois do jogo. Não interessa se é atleta, técnico ou dirigente. Aposto o que vocês quiserem que se a galera que acompanha o surf assiduamente encontrasse os manda-chuvas do esporte por aí, certamente moedinhas de 1 centavo rolariam valendo. Porém, hoje em dia o surf é visto pela grande maioria do povo, simplesmente como um passatempo de final de semana. Então façamos alguma coisa para mudar isso, pois assim continuará sendo, até que alguém prove o contrário, que não, o Brasil é um país com surfistas de alto nível e podem sim lutar por seu lugar ao sol no cenário mundial. No entanto, enquanto os figurões continuarem tapando o sol com a peneira, passando a mão na cabeça dos caras e ainda engolindo sapos dos gringos, seremos somente um paizinho tropical fabricante de coadjuvantes e grandes festas. Sim, por que quando se fala em Brasil no circuito mundial, logo lembra-se das grandes festas, mulheres, etc. E onde estão esses figurões, tão cheios de razão e "moral" para querer se opor a uma matéria real da imprensa, quando os gringos cagam na nossa cabeça? Onde eles estavam quando o Jake Paterson fez este infeliz comentário: ''Os brasileiros ainda estão na área de competidores? Deve estar rolando uma comida de graça ou algo assim. (risos).''??? E quando o bandido do Sunny Garcia partiu pra cima do Neco Padaratz no Pipemasters do ano passado, atitude que até agora não foi julgada e muito menos condenada de forma veemente pela ASP (sim, por que a punição aplicada foi uma piada, né?). Onde estavam os brasileiros que nos representam na entidade esta hora??? Quer mais? Na Surfer do mês passado tem uma entrevista com a Maya Gabeira, onde o infeliz (não lembro o nome) do entrevistador comenta que quando o cara vai mal na água, é zoado com: "You surf like a Brazilian" (Você surfa como uma brasileiro). Ou seja, se o cara é um baita prego, é brasileiro... Além de não fazerem NADA, deixam nosso surf virar uma bagunça generalizada, com uma politicagem absurda praticada pelos figurões, que visam exclusivamente sua imagem frente ao mundo, menos ao Brasil. A falta de critério no julgamento dos nossos atletas nas baterias, a falta de incentivos do mercado, a descriminação das marcas poderosas com nossos atletas, ondas e tudo mais. Folheamos uma revista gringa e não podemos ver a cor da prancha dos surfistas, de tanto patrocínio que eles tem. Claro, seus representantes os apóiam e trabalham pelo crescimento e amadurecimento do surf (informem-se sobre o Official Program os Surfing America). Po galera, em 2001 éramos a 3ª potência do surf mundial e com chances reais de termos um campeão. E hoje, o que nós temos??? Temos 6 representantes lutando para se manter pelo WCT e conseguindo a trancos e barrancos, 18º lugares nos campeonatos. É culpa deles? Sim, com certeza, mas não é só deles não, é de todo mundo, é nossa por não cobrar mais, é da imprensa por não cobrar mais e principalmente, é dos figurões por não apoiarem em NADA!

Então Fluir, estou com vocês, a matéria do Alex foi uma das melhores que já li na vida. Na gringa, os caras falam o que querem dos nossos surfistas e ninguém vai lá meter pau neles. Tem um babaca na Surfline que fala mais merdas do que os cavalos cagam no desfile de 7 de setembro e nunca vi algum figurão da ASP repreender ele. Aqui o cara fala a real, algum bonito se ofende e sai querendo censurar. Sem chance!!! Por favor Alex, Kiko, Steven, Adrian, Bocão, Fred e todos outros profissionais da mídia surf que lerem esta, tomem o Jorge Kajuru de exemplo no futebol e apliquem suas técnicas para o surf. Talvez assim, algum alguém acorde e acabe com esta prostituição barata do nosso surf. Altas ondas pra galera de bem! Grande abraço,

Ígor Maciel"

E a questão continua no ar. Quem defende nossos interesses? Quem defende nosso surf? Quem defende nosso mercado? Será que sempre que alguma verdade sobre o surf brasileiro for exposta, haverá repressão? Espero, de coração, que não. Nosso surf merece muito mais que isso, merece ser coordenado por pessoas que o defendam e não marionetes do sistema internacional que move o esporte.

Pensem nisso e deixem sua opinião nos comentários.

Aloha e altas ondas sempre!

Ígor Maciel

5 comentários:

Alex disse...

Boa tarde a todos.

Já de cara descobri esse blog por estar na Fluir ao lado da empresa que trabalho.Entrei e gostei do que li.
Agora faz parte de mais um favorito do navegador, espero ficar mais ainda por dentro do mundo do surf, já que trabalho com o seguimento e praticande bodyboard...

boas ondas a todos!

Alex Alves - DESIGNER - (47)9945-7702
alvesdesigner@gmail.com

Claudio Regis disse...

Sou solidario a vocês em todos os comentários e acrescento, podemos com uma atitude simples e silenciosa que dará um sacode nessa gringalhada de mentalidade demente, segregatóriaica. Ao comprar qualquer coisa que se relacione a surf, compre nacional, a queda no faturamento trará a resposta que precisamos, somos um mercado consumidor gigante, qualquer um vai sentir, os nacionais prestigiemos os que investem no esporte, não apenas os que lucram, temos excelentes surfistas, excelentes picos, não precisamos pagar um preço tão alto, a humilhação frequente.
Somos muito mais do que pensamos ser, basta organização. Boas Ondas e um forte abraço.

Lohran disse...

O Alex arrebentou na reportagem sobre os Top45!
Só isso tenho a dizer!
Abraço, Ígor e parabéns por ter tido o blog estampado na FLUIR! :D
Seu blog é um sucesso! :)

Diego Teschi disse...

Ígor, em meio uma insônia parei para ler seu blog, e cara, ta de parabens, escrevendo muito. Sucesso!

Sobre esta, cara, falou tudo, estou revoltado com o que anda acontecendo porai, vários caras na gringa falam o que querem, e quando alguem aqui toma a frente é censurado. Acredito no surf brasileiro pois já foi mostrado que temos capacidade pra derrubar qualquer um em qualquer condição, só ver os resultados de Fábio Gouveia, Teco Padaratz, Peterson Rosa entre outros que na época surfavam como gigantes e faziam a mala de vários, senão todos, os gringos. Hoje em dia temos grandes surfistas no cenário, mas que não conseguem ter destaque pela falta de incentivo e respeito la fora, neguinho que mora nos EUA chega em Pipe, ja é bem recebido na casa dos trouxas e pega sempre a melhor da série, brasileiro, salve alguns como Pig, entra as 6 da manhã na água e só vai consegui pega uma onda fechando as 11 e com todos os locais fazendo vista grossa.
Acho revoltante o que esta acontecendo por parte de surfistas, patrocinadores, mídia e todos que trabalham em pró do surf nacional.
Assino em baixo esta tua carta e se alguém vier com ameaças pra cima de ti (já que isso viro moda hj em dia), pode manda vim falar comigo também que compro a briga.
Grande abraço.
Diego Teschi

AlaFeminina.com disse...

Igor, vc tá certo. A liberdade de imprensa é uma conquista de que não podemos abrir mão, seja em qualquer veículo. Também acredito na iniciativa do Alex Guaraná de criticar construtivamente, na esperança de que algo mude (para melhor). A Fluir não conquistou autoridade no seu discurso do dia para noite. São mais de 20 anos de experiência e seriedade, mais que suficientes para lhe garantirem autonomia no seu texto jornalístico.