quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Surf brazuca #08

Saudade desse tempo, desses caras.. uuhhuuuu


Para começar o ano de 2008 bem, nada melhor que o Pablo Paulino vencendo mais um Mundial Pro Junior, igualando ao record do australiano Joel Parkinson, sagrando-se sendo bicampeão. Após a oitava edição do campeonato, o Brasil trouxe seu 4º título, vencido antes pelo Pedro Henrique, Adriano "Mineirinho" e pelo próprio Pablo Paulino. É uma pena que os resultados não reflitam no WCT, onde ainda estamos, ao meu ver, muito longe de ter um campeão.

Mas falando em WCT, teremos um número menor de representantes se comparar aos outros anos, com apenas 6 atletas em 2008. Porém, desde o tempo que tínhamos Fabinho Gouveia e Teco Padaratz na elite, minhas esperanças de bons resultados não vinham a tona como neste ano que começa, pois a confiança na equipe que correrá o Tour deste ano é plena e creio que possamos figurar entre os Top 10 em 2008 e por que não, buscar alguns pódios e até eventos.

A começar pelo nosso maior nome no surf mundial em 2007, Rodrigo "Pedra" Dornelles, que finalizou com um 18º irado, após apresentar um surf completo, radical e poderosos em todos os tipos de ondas do tour, sendo que estava buscando know-how em muitas delas, então podemos esperar um ano glorioso do nosso Pedra. Além é claro de vir embalado de um 3º lugar no ranking geral do WQS, desbancando muitos nomes de peso que lutavam pelo lugar no CT, ou seja, o Pedra merece duas vagas, rsrs.

Outro destaque no WCT 2007, ao menos para mim, foi o Neco Padaratz, simplesmente por sua atitude louvável frente a situação acontecida no Pipemasters, onde ao mesmo tempo em que servira de exemplo para a geração mais nova, evitando cenas de violência, ele manda embora do evento e do WCT um dos maiores nomes do surf mundial.. No surf, fez seu papel direitinho, mas é claro que poderia ter feito muito mais, pois o Neco é o Neco e sempre podemos esperar uma grande apresentação daquele maluco.

O Léo Neves correu seu primeiro ano no WCT com uma vontade contagiante, uma garra alucinada e um surf poderoso, conhecendo os picos, interagindo com as ondas e mostrando à que viera e com certeza poderá ser um dos nomes a figurar nos títulos da mídia em 2008. Claro que precisa evoluir muito ainda para que os resultados apareçam valendo, mas se mantiver o foco que tem demonstrado, podemos esperar coisas boas dele.

Adriano Mineirinho é um nome que normalmente gera polêmica, pois fora apontado pela mídia como possível primeiro brasileiro campeão mundial. Ele tem surf para isso, porém ainda está em fase de aprendizagem e amadurecimento, ao meu ver. Ele fatura muitas etapas e boas colocações, quando disputadas em ondas pequenas e medianas, porém peca muito em ondas grandes e pesadas. Está buscando aprimoramento neste quesito, mas acho que poderia buscar ainda mais. Mas conseguiu se manter na elite para correr o WCT 2008, o que é muito bom para pegar bagagem e prospectar pódios e boas colocações.

A novidade mais irada para mim, é a presença do Heitor Alves, um grande surfista que vem com tudo, com gana vitoriosa. Surfa muito e quer resultados, até onde vi ele competir, podemos esperar um ano semelhante (ou até melhor) ao do Léo Neves em 2007. Talvez por ser o primeiro ano, pode não ter grandes resultados, mas vai evoluir MUITO em 2008 e nos trazer alegrias ainda. Só não pode deixar a peteca cair e estar sempre motivado e isso a Mormaii faz bem. Aliás, parabéns à Mormaii, dois representantes da marca no Tour 2008, frutos de um trabalho bem executado!

E nosso outro representante é o Jihad Khodr, que se posicionou bem no WQS, garantindo sua primeira participação no WCT. Infelizmente, situações ocorridas com ele no final de 2007 podem pesar um tanto neste ano, pois ele perdera o título brasileiro na justiça, após negar-se a fazer o exame anti-dopping ao final da última etapa do Super Surf, no Rio de Janeiro. Com isso, Jihad perdeu muita credibilidade, talvez por falta de apoio ou orientação, o que lhe custou, além do título, o patrocínio principal da Quiksilver, que não renovou com o atleta para 2008, mesmo ele tendo conquistado vaga para o WCT. Infelizmente, Jihad fez tudo errado, não teve suporte firme para decisões importantes e acabou cavando sua própria cova. Péssimo pra ele, porém bom para a profissionalização o esporte, que vê um atleta de alto nível pagando a altura por seus erros e faltas.

Outra notícia boa é a realização de mais um WCT Brasil nas águas da Vila de Imbituba, pois com aquele show de ondas, considerada pela maioria dos Top 45 o melhor evento da temporada 2007, garantiu a realização do campeonato por mais um ano. Isso é bom pro Brasil mostrar pra gringaiada que temos sim ondas iradas e ainda por cima, é nas nossas águas onde tudo se decide!!!

E é claro que não poderia deixar de citar nossas duas mulheres maravilha, Silvana Lima e Jacqueline Silva, que vem com tudo, após grandes resultados em 2007, para perseguir e quem sabe alcançar o tão desejado título mundial da ASP, feito já conquistado no longboard e defendido este ano pelo nosso brother Phil Rajzman.

É isso aí galera, podemos esperar um grande ano pro surf brasileiro. Vamos torcer muito, ter fé nos nossos atletas e nas nossas ondas!!!

Ah, essa minha análise rendeu elogios de um grande nome do surf brasileiro, ninguém menos que o editor da Revista Fluir, Alex Guaraná. Valeu Alex, é irado ter o trabalho reconhecido.

Grande abraço a todos e tenhamos um 2008 glorioso no surf e na vida!

Aloha e altas ondas sempre!

4 comentários:

lohran disse...

Se o Alex elogiou, como é que eu não elogiaria, não é mesmo?!
Quero muito que a Silvana leve o título em 2008, porém, estou com algum pressentimento de que isso não irá ocorrer. Espero estar muito enganado!
Um grande abraço!

Lohran.

Carlos Leo disse...

Boa Igor


Mais uma vez arrebentando, gostei do texto, só vou fazer um reclamação...podia colocar uma foto do Pablo levantando o caneco né, no caso, prancha de premiação!hahahaha

depois vou tentar passar pra vc um texto muito bom que esta na Alma Surf acho que de junho de 2007, é uma analise muito boa sobre o tema.

WCT estamos ai!
Um abraço

Ígor disse...

Tá certo Carlos, a foto do Pablo cairia bem mesmo, pois começou 2008 detonando.. Mas ele é pauta principal para a próxima coluna, fica tranqüilo!

Valeu irmão, volte sempre!
Abração

Felipe disse...

Parabéns pelo post, só achei que faltou um destaque maior ao Leo Neves que, na minha opinião, mostrou em Sunset o que esperamos de todos os brasileiros no WCT em 2008: Muita atitude e vontade de ganhar. Não levou o título por pouco e teve excelente postura após a final, sem reclamar dos juízes e da nota do havaiano.

Abração e parabéns pelo blog, éa primeira vez que leio mas vou virar frequentador assíduo.